Dez dicas de um professor universitário para você passar no vestibular de música

Esse texto é para você que está decidido a fazer uma faculdade de música; e é, também, para você que está pensando se vai fazer uma faculdade de música.


antigo prédio do Instituto de Artes da UNESP, onde fiz a minha graduação em Composição e Regência (1999–2005)

Operar ou óperas? Corporações ou composições? O ingresso em um curso superior de música é um caminho escolhido por muitas pessoas que sonham em seguir a carreira de músico e buscam caminhos para desenvolver a sua formação, pois esses cursos oferecem um currículo amplo e um alto nível de formação musical que irão ampliar as possibilidades de crescimento musical e de inserção profissional dos estudantes. Contudo, para entrar numa faculdade de música, é preciso ser aprovado em uma prova de habilidades específicas, dedicada a avaliar os conhecimentos musicais do candidato. Esse texto vai te dar dicas para você passar nesse vestibular e curtir essa jornada.

Em minha atuação como professor, seja preparando candidatos para o vestibular, seja ministrando aulas em faculdades de música, pude perceber as características mais comuns dos pretendentes ao curso de música e dos alunos ingressantes, em especial as deficiências que dificultam a vida acadêmica do aluno de música, ou até inviabilizam sua aprovação no vestibular.

A verdade é que fazer música de qualidade dá trabalho e demanda muitas horas de estudo. Talento é um extra, que ninguém controla ou decide ter ou não ter. Esforçar-se sim é facultativo.

A seguir você vai ler dez dicas para se preparar adequadamente para o vestibular de música, tanto para a prova específica quanto para o bom aproveitamento do tão sonhado curso superior; elas ajudam também a refletir se esse curso é o seu.


1. Escolha o curso certo para você

Não há apenas um, mas diversos cursos superiores de Música, como Canto, Instrumento, Composição, Regência, Licenciatura, Música e Tecnologia, Produção Musical, além de cursos específicos de Música Popular. Cada curso tem um currículo diferente, pensado para a formação de profissionais que terão habilidades e funções distintas. Reflita sobre o que realmente deseja fazer profissionalmente como músico e escolha o curso adequado às suas escolhas.

Em outras palavras, o curso certo é aquele que fornecerá a formação adequada para a atuação profissional que você deseja, diminuindo as chances de se sentir frustrado durante a graduação. Vale ressaltar que o vestibular costuma ser diferente de acordo com o curso escolhido: por exemplo, se escolher um curso de Instrumento, na prova de habilidades você terá que tocar um repertório solo com certo grau de dificuldade para ser aprovado.

Lista de quinze das melhores faculdades de música

2. Crie uma rotina de estudos

O vestibular de Música avalia um conjunto de conhecimentos teóricos e práticos, os quais demandam muito tempo de estudo para serem adequadamente absorvidos. Buscar um bom professor e (ou) uma boa escola ajuda muito a sedimentar uma rotina de estudos, mas isso não será suficiente se você não criar a sua rotina de estudos em casa. Separe algumas horas por dia para se preparar para o vestibular de Música e divida o este tempo para os diferentes conteúdos (veja itens abaixo).

Atenção: é necessário estabelecer um equilíbrio adequado entre o estudo específico de Música e o estudo das outras matérias que compõem o vestibular normal e (ou) ENEM. Por fim, deixe também algum tempo reservado para o seus descanso e lazer, pois o cansaço reduz a eficácia do aprendizado.

Dicas para relaxamento

3. Aprenda a ler e a escrever notação musical

Embora não seja uma condição obrigatória para fazer Música, ser capaz de ler e escrever uma partitura musical é considerado conhecimento obrigatório para o vestibular de Música. Sem isso, não apenas a aprovação pode ser muito difícil, mas o curso de graduação em Música pode se tornar um martírio. Aprender os rudimentos demora poucas horas e esse conhecimento trará enormes benefícios ao seu futuro.

Uma vez ultrapassada esta fase inicial, expanda aos poucos o seu conhecimento sobre os elementos básicos da Teoria Musical, como fórmulas de compasso, armaduras de clave, intervalos musicais, formação de acordes, nomes das escalas e das claves. Esse conjunto de conhecimentos teóricos constitui a base de qualquer vestibular específico de Música.

Pratique também a escrita musical, uma vez que a clareza e a precisão de escrita são critérios avaliados no vestibular e necessários durante a graduação.

Professores, escolas, internet, livros, aplicativos… As fontes são infinitas, e muitas gratuitas. A Presto fez o design e editoração de um livro de teoria da Berklee College of Music; e existem também incontáveis livros mais.

4. Pratique leitura musical e solfejo

Não basta apenas saber os nomes das notas e das figuras rítmicas, é preciso ter um mínimo de fluência na leitura musical.

Essa prática é desenvolvida por dois caminhos:

  1. Pratique diariamente o solfejo falado e cantado (sim, todo aluno de Música precisa minimamente saber cantar afinado!), pois isso será cobrado de você em diversos momentos de sua vida de estudante e como profissional;
  2. Pratique regularmente a leitura de partituras em seu instrumento musical.

Vale a dica: aprenda a ler e pratique o solfejo nas claves de Sol e Fá, em adição às claves do seu instrumento, pois isso é conhecimento obrigatório em todo vestibular de Música.

Outro conhecimento importante, principalmente para quem vai trabalhar profissionalmente com música popular, é saber reconhecer e executar as cifras.

[A Presto publicou um método próprio de cifrar música popular, que dispomos gratuitamente.]

Alguns exercícios de leitura musical e solfejo

5. Estude percepção musical

Em geral, a parte mais difícil do vestibular de Música são as questões relativas à percepção musical. Nelas, o aluno deve ser capaz de reconhecer auditivamente intervalos musicais, escalas, acordes de três e quatro notas e outros elementos musicais. Ainda que algumas pessoas tenham certa facilidade neste quesito, o estudo diário é essencial para que você desenvolva uma boa percepção musical. Isso inclui ser capaz de realizar os exercícios mais temidos do vestibular: os ditados rítmicos e melódicos!

Há diversos websites e aplicativos para celulares e tablets que oferecem exercícios gratuitos para este treinamento. O tempo investido nesta tarefa irá tornar a sua escuta mais eficaz e detalhada, e todo mundo sente grande prazer ao se perceber capaz de ouvir estruturas musicais.

Alguns exercícios de percepção musical

6. Ouça muita música, incluindo música de concerto

Ouvir música regularmente é essencial para quem quer se tornar músico profissional. Dedique algum tempo toda semana apenas para ouvir música: deixe o celular de lado, procure um local silencioso e ouça música com sua total atenção. E não se limite ao seu gosto pessoal! Ouça músicas de estilos variados, incluindo obras do repertório de concerto.

Aliás, ir a salas de concerto é uma ótima alternativa para expandir seu repertório, um lazer enriquecedor e um passeio que você pode fazer sozinho e acompanhado – e é muito fácil e divertido vestir-se para o clássico.

Lembre-se de que o vestibular de Música avalia o conhecimento geral do aluno, sendo muito comum questões nas quais o aluno deve dizer o nome da obra e/ou compositor a partir da escuta de pequenos excertos musicais.

Jeitos de se escutar música de concerto online

7. Estude História da Música Ocidental

Relaxa, não precisa saber tudo sobre a História da Música, mas um mínimo de conhecimento geral é extremamente útil e importante para o vestibular. Ao estudar História da Música, você irá aprender sobre as características estilísticas dos principais períodos históricos.

Essas informações irão tornar a sua escuta mais prazerosa e informativa, além de serem úteis para o vestibular: é presença garantida alguma questão sobre o estilo de certo período histórico e/ou compositor na maioria das provas específicas de Música.

Uma dica: se o curso escolhido for específico de música popular, deve-se estudar a história do Jazz e do Choro e Samba. Vale ressaltar que estudar História da Música reforça e complementa o estudo de História geral e História da Arte e da Literatura.

Animação de oito minutos que resume a História da Música Ocidental

8. Leia textos e converse com outras pessoas sobre música

Para ser um bom músico, não basta apenas ouvir muita música; é necessário também aprender a compreendê-la. Assim, não julgue as músicas apenas com base em seu gosto pessoal, mas aprenda a verbalizar suas opiniões tendo como base os elementos e características da obra em questão.

Uma boa fonte de conhecimento são livros de História da Música e textos de jornais e revistas especializadas, como a brasileira Revista Concerto.

Lembre-se, também, de que nada substitui a rica troca de experiências advinda de uma boa conversa sobre Música, seja com seus amigos, seja com seu professor: além de ser um prazer falar de algo que você gosta muito, você irá aprender muito com a visão e opinião das outras pessoas.

Como se introduzir à música de concerto (em inglês)

9. Estude um instrumento

Parece uma dica óbvia, mas o estudo de um instrumento é essencial para todo o pretendente a um curso de música.

Procure um bom professor (ou uma boa escola), pois ele irá te ajudar a entender como os diversos conhecimentos musicais atuam em conjunto para que se possa fazer música de fato, com qualidade. Essa dica vale também para os cantores, uma vez que o estudo de um instrumento facilita a compreensão de alguns elementos musicais (como acordes e intervalos).

Considere também que algumas provas de vestibular podem cobrar como requisito básico a execução de alguma peça ou excerto musical ao piano para candidatos aos cursos de Composição e Regência.

Se possível, busque alternativas para praticar música em conjunto (participar de bandas, praticar música em duos ou trios, entrar para uma orquestra jovem ou coro): além de ser uma experiência prazerosa por conta do convívio social, ela é essencial para a formação de qualquer músico.

[Não menos importante: tocar é sexy.]

10. Tenha perseverança e paciência

Nunca se esqueça de que o estudo de Música demanda tempo: não é possível aprender tudo da noite para o dia, nem mesmo em alguns poucos meses. Cada pessoa terá o seu tempo para assimilar esse vasto conteúdo, de modo é preciso ter paciência: com estudo constante e dedicado, você chegará lá.

Se não for aprovado numa primeira tentativa, não desanime! Continue estudando para ultrapassar suas dificuldades e busque informações para sanar suas dúvidas. Assim, você estará mais preparado para o próximo vestibular. Caso deseje, há cursos de média e curta duração especificamente voltados para a preparação para o vestibular de Música.

Mesmo os profissionais mais reconhecidos da área continuam estudando por toda a vida: pela necessidade de manterem a sua técnica musical, pelo desejo de aprenderem novas informações e conhecerem novos repertórios, pelo prazer de viver continuamente Música.

E saiba desde já: o estudo de Música não tem fim!



frente

Arthur Rinaldi é compositor de música contemporânea de concerto, com larga experiência profissional em composição e no ensino musical. Atualmente, trabalha como professor efetivo na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul. Também atua como professor visitante junto ao Programa de Pós-Graduação em Música do Instituto de Artes da UNESP. Saiba mais sobre ele, seus textos e músicas visitando seu site.



A Presto oferece aulas de música presenciais em São Paulo e no Rio de Janeiro e online para todo o Brasil. Fale com a gente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s